Saúde do Adolescente Masculino

A adolescência é uma fase especial no desenvolvimento do ser humano. Infelizmente existem diferenças na sua abordagem de acordo com o gênero. O sexo masculino costuma ter essa fase da vida negligenciada do ponto de vista na atenção à saúde dos meninos jovens, que em enorme parte não depende de sua iniciativa própria, senão de seus responsáveis. A atitude é tão desconexa quanto possa ser com base no pensamento em outros aspectos da vida em que evoluímos para melhor, adotando uma posição de igualdade entre os sexos. Essa diferença é um retrocesso nesse aspecto, por parte da sociedade, famílias e pais dos jovens do sexo masculino. Fica fácil entender se olharmos o cuidado de que se cerca a puberdade da menina. Quase invariavelmente, quando a jovem experimenta a sua menarca, a primeira menstruação existe um consenso sagrado de levá-la à ginecologista ou o ginecologista, geralmente da mãe e/ou da confiança estreita da família. Ali ela é devidamente atendida, verificada plenamente em termos de desenvolvimento e conferência de sua “normalidade” física, mental e psíquica. O menino, o jovem, oras, é um “moleque forte e rígido”, sem que lhe consultem honestamente se ele acha que é assim. É forçado culturalmente a sê-lo. É tudo o que se espera do mais novo “espécime do sexo forte” na família. Inflam-se os peitos de todos, do pai a todos os parentes masculinos. Até mesmo da ala feminina de sua família. Erro crasso! Não preciso me alongar em conceitos filosóficos, éticos, sociais ou culturais. Do ponto de vista médico, nada mais errôneo igualmente. As diferenças anatômicas e fisiológicas particulares ainda guardam uma igualdade enorme no seu potencial de anormalidades e variantes que, no mínimo, devem ser identificadas e acompanhadas. Se tudo bem, ótimo; pelo menos se sabe disso sob uma base objetiva. E olhe que o TUDO é tudo mesmo, desenvolvimento, fase, idade óssea, estado hormonal, comportamento, dúvidas e a sensação confortável de que tudo está bem para o próprio jovem na sua puberdade. Tal qual no sexo feminino há um enorme iceberg de transformações anatômicas, fisiológicas, endócrinas, mentais e psíquicas acontecendo como uma erupção monstruosa. Todos os órgãos e sistemas do corpo passarão por modificações vitais na puberdade. Note que entre os meninos não há o nível de confidência entre as amizades que existe entre as meninas. A barreira entre as gerações é menores e o espírito de colaboração e ajuda na promoção  desse bem estar é incomparável com o do sexo masculino. Compreender essa necessidade é a coisa mais importante quando nos importamos com nossos jovens meninos. Os aspectos técnicos são sistematizados na especialidade urológica e também em outras auxiliares e particulares nos vários aspectos dessa grande transformação na vida do ser humano, a transição entre a infância e a vida adulta plena. São muitos os fatores que devem ser aferidos clinicamente. Vários estão e serão tratados aqui nesse pequeno espaço virtual digital. Se você é pai, mãe, ou alguém investido na responsabilidade de prover o bem estar de um jovem menino pense nisso. Afinal, ao contrário de faces, narizes e mesmo outras protuberâncias do sexo, como os seios, algumas partes vitais masculinas, não contam com uma abundância de exemplos visíveis para que o jovem possa se comparar e inferir sua normalidade. Nem mesmo os pais, usualmente.

Sobre o Autor
Dr. Homero Guidi
Dr. Homero Guidi